O Fim da minha infância

Um tema bem recorrente na maioria das rodas de amigos recentemente é o resgate da infância, acho que muito por causa da nova grande obra da Pixar, Toy Story 3, que fez cada um de nós se identificar muito com o dono dos brinquedos, na qual ele abandona seus amigos de plástico para seguir a vida adulta, faculdade, emprego, assim como todos teremos que fazer um dia, no caso das pessoas que viram o primeiro filme quando crianças, está passando por isso nesse momento. E quanto custa abandonar tudo isso? Pelo que estamos trocando os melhores anos de nossas vidas?

Acredito que antes de começar a jogar video-games e a levar a escola mais a sério a infância era bem melhor, aliás,  brincar de bonecos era bem melhor do que qualquer coisa do mundo, vc podia simplesmente usar o seu jedi com sabre de plástico e fazê-lo ganhar de um cavaleiro do zodíaco e ainda fazer o coitado implorar por misericórdia, enquanto vc dava ele de comer ao seu cão robô que soltava lasers, e comigo, por mais que os enredos parecessem sem nexo nenhum, cada personagem tinha sua história própria e cada aventura se conectava com a anterior, tal qual uma série, era simplesmente fantástico, duvido que hoje eu teria saco ou criatividade pra fazer algo como aquilo outra vez.

Eu tinha um muito parecido com esse, era meu favorito. (Tente não olhar nos olhos dele, pode ser a última coisa q vc vai ver.)

E não só bonecos, andei mto de bicicleta com o pessoal que morava aqui perto, e até hoje sou amigo de alguns, soltar pipa e se achar o máximo por ter conseguido cortar a de um marmanjo de 2 metros, pedir dinheiro pra sua mãe e pedir tudo em doce na bonbonieri (isso existe ainda?).  Mas com o tempo as coisas vão mudando, a escola começa a puxar mais, você começa a ter que abandonar antigas atividades, e começa, não a virar adulto (assunto pra um próximo post), mas deixar de ser criança.

Responsável pela infância, e o destruidor da infância.

A famosa a frase de que quem pensa pouco é mais feliz (Eu sei, não é bem assim a frase mas você entendeu) é extremamente verdade nisso, fui pra uma escola mais forte, muito mais focada em preparar as crianças para o futuro, e realmente eles estão certos, nós fomos preparados para encarar o mundo, um mundo onde precisamos de um emprego, de uma família, de um lar, tudo bancado pelo dinheiro. E então entramos na faculdade, por mais que seja na que escolhemos, não estamos ali pela ciência, estamos ali pois precisamos dar continuidade, seguir em frente, para que talvez nossos filhos um dia possam ter uma infância como a nossa.

Talvez devêssemos usar mais aquela criatividade que tínhamos quando menores e pensar menos em manter a atividade financeira em alta, ou então, quando nossos garotos vierem brincar conosco, estaremos enfiados no trabalho, ou cansados demais para reviver aqueles bons tempos.

Advertisements

1 Comment

Filed under Uncategorized

One response to “O Fim da minha infância

  1. La Y. O.

    Pode crer, incrível como esse assunto sempre aparece em rodas de amigos! Até parece que somos velhos, se bem que, com o ritmo das mudanças e dos modos de brincar das crianças, é fácil sentir-se assim!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s