Como fotografar shows

Cansado de fotografar seu show favorito e se decepcionar com o resultado? Leia estas dicas e sorria! Muitas coisas que estão fora do seu controle podem tornar seus registros um desastre: as luzes do palco que não param de piscar, um cabeçudo na sua frente, um marmanjo esbarrando na sua câmera, o cantor que fica pra lá e pra cá e nem posa para suas fotos… Enfim, são muitas as variáves. E agora? Quem poderá ajudá-lo? O HP Spot pode.

Vamos começar com algumas dicas básicas que proporcionarão maior qualidade no resultado final:

1. Saiba onde você vai estar

Dê uma boa olhada no lugar (de preferência pesquise antes) para ter uma ideia da dimensão. A plateia vai ficar de pé ou sentada? Porque se for um show com cadeiras, por exemplo, talvez você consiga se mover mais facilmente para pegar os melhores ângulos. Fotos tiradas do meio da primeira fila não são nem de perto tão legais ou tão emociontes quanto as tiradas da frente, de trás e dentre a multidão.

 

2. Prefira as rapidinhas

Dependendo do lugar o flash pode ter pouca utilidade. Mesmo que você esteja perto o suficiente, pode ser inconveniente usá-lo caso o show já não esteja iluminado. Neste caso, é melhor contar com lentes rápidas para auxiliar na captura do movimento. Elas permitem foco mais rápido e closes da ação. Do contrário, você é um forte candidato a ter borrões no lugar dos artistas. =S

Uma boa pedida é uma lente 70-200mm f/2.8, que permite um ISO um pouco menor, auxiliando a diminuir o ruído na imagem.

3. Não tenha medo do modo manual

Pode parecer assustador nas primeiras vezes; mas acredite, ele ajuda. O problema de utilizar o modo automático é o alto contraste que a variação de luz pode causar. Por exemplo, essa foto acima tem uma grande quantidade de preto. Se fosse tirada no modo de exposição automático, tudo o que você teria seriam luzes e artistas estourados, já que a câmera tenta compensar o preto (esse carinha da direita seria o alvo mais provável, por estar de branco). Colocar a câmera no modo manual permite maior controle principalmente quando a iluminação mudar rapidamente.

4. Use e abuse da medição spot 

Ela vai ajudar quando você quiser tirar fotos do vocalista e dos membros da banda, pois essa função é utilizada para medir a luz em áreas menores. No modo spot você tem maior controle da exposição e pode fazer as compensações de acordo com a foto que você quer tirar. Por exemplo, a maior parte dos shows tem grande quantidade de escuridão – com focos de luz nos artistas – e se você utilizar o modo geral a medição automática vai tentar compensar tudo isso estourando a luz no objeto principal (no caso, seu ídolo).

Uma vez que você tiver essa medição (em ambiente de luzes de holofotes e muita escuridão ao redor), fica mais fácil ajustar a velocidade do obturador para compensar áreas mais escuras (como a do baterista, que sempre fica escondido atrás do equipamento). Fique de olho nas configurações para saber se tudo permanece sob controle.

Depois de aprender a configurar a velocidade do obturador e a abertura, essa medição vai ficando menos importante conforme você for pegando o jeito de perceber os efeitos e intensidades das diferentes luzes coloridas do palco.


5. Confira o ISO


O ISO pode ser um grande amigo nos shows em que você estiver sem flash. Mas vai precisar fazer alguns testes para ver quanto de ruído você pode suportar na sua foto. Saiba que brincar com o ISO causa um impacto direto na velocidade do obturador (a maioria dos shows são fotografados com uma baixa profundidade de campo para captar o máximo de luz possível) e é importante combinar essa velocidade com a ação.

Se o show tiver muita movimentação uma velocidade de obturador de 1/60 ou mais será necessária para prevenir o excesso de borrões. Agora, se for um show mais calminho (daqueles que todo mundo fica sentado), você pode utilizar velocidades menores.

Embora a granulação possa ser um problema quando você usa um ISO maior que 400, ela também pode ser usada como uma vantagem. Usando um filtro do Photoshop, por exemplo, você pode mudar sua foto para preto e branco e solucionar o problema. A foto acima foi tirada com um ISO 3200 e as luzes e o zoom contribuíram para formar uma cena mais escura e… granulada. Depois de transformada em P&B, o resultado ficou bem melhor. O que acha?

* Dica: para aprender mais sobre conceitos básicos e intermediários, dê uma olhada no Curso de Fotografia da National Geographic.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s