Einstein-robô, agora com emoção

  Reza a ficção científica – e os quadrinhos – que nosso cérebro pode sobreviver ao fim do corpo. Quem nunca viu as cabeças no jarro do Futurama (se não viu, tem um videozinho lá embaixo)? Até em um episódio antigo de Two and a Half Men – um dos meus seriados favoritos – a atriz Holland Taylor, que faz a Evelyn (a mãe dos dois homens do título), fala que sua cabeça será transplantada em um macaco após sua morte. Plausível ou não, a idéia é bem tentadora – do nosso cérebro ser eterno, não de colarem sua cabeça em um macaco, um cachorro ou que outro animal for. Mas o bacana é que isso deu ideia para uns engenheiros criarem robôs com o rosto de personalidades científicas. Só assim Albert Einstein poderia ter comparecido na semana passada ao TED Conference, não é?

A “reencarnação” de Einstein saiu da mente do designer de robôs David Hanson e interagiu com cerca de 1.500 visitantes do evento, que aconteceu na Califórnia. Ele é capaz de reproduzir várias expressões humanas, como sorrir, piscar os olhos e outras nuances emocionais com seus 32 motores que representam 48 músculos faciais. Também fala (frases gravadas, é claro) e anda, graças ao seu corpo baseado no robô coreano Hubo. Segundo seu criador, trata-se de uma “máquina de empatia”, capaz de entender sentimentos e movimentos. Para Hanson, um dia os autômatos serão capazes de interagir de verdade com os humanos, ouvindo e respondendo às suas questões.

Só espero ver nenhum desses voltando no tempo para eliminar algum John Connor.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s