Galaxia tão tão distante?

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Mega máquina de Lego e Museu de games

Mega máquina feita com Lego:

A melhor coisa que eu já fiz com Lego foi uma miniatura de Tie-fighter do filme Star Wars, pena que foi destruída por um cavaleiro do zodíaco 3 vezes maior que ela, enfim, não adianta falar de destruição, mas sim de construção, e esse vídeo que o @RenandeAraujo me mandou me deixou embasbacado, nunca vi um projeo de engenharia tão bem feito quanto esse, jamais que um politécnico da USP conseguiria. (Menos vc, leitor politécnico que está lendo isso!)

Confira abaixo:

Museu de Games:

No ano de 1997, na cidade de Berlim, foi aberto o Computersspiele Museum, primeiro museu com uma exposição permanente dedicada à cultura do entretenimento interativo digital, mais conhecido como vídeo-game. Desde então eles fazem um trabalho de documentação sobre o desenvolvimento desta mídia e de seus jogadores.

museu dos games pong

Um dos primeiros do mundo

No museu é possível encontrar um grande número de jogos clássicos, que podem ser experimentados em suas plataformas originais. São mais de 300 peças entre máquinas de fliperama, computadores antigos como o Amiga e o Macintosh, além de novidades curiosas como o Painstation (um jogo onde quem perde é “punido” pela máquina) estão disponíveis para quem quiser jogar.

museu dos games painstation

O doloroso Painstation

museu dos games games 3d

O gamer que quiser conhecer as novidades da mídia, como jogos em 3D e consoles da geração atual, também terá estas máquinas a disposição.

Além de conhecer as peças, o visitante pode descobrir um pouco mais sobre a evolução destas máquinas clássicas para os computadores e consoles que divertem milhões de pessoas pelo mundo. O local está se tornando um importante ponto turístico na capital alemã. De janeiro a março mais de 12 mil visitantes passaram pelo local. Se você estiver fazendo um passeio pela Europa e gosta do tema o endereço é: Karl-Marx-Allee 93a, 10243 Berlin. Abaixo estão imagens de mais algumas peças em exposição no museu.

museu dos games pong portatil

museu dos games fliperama classico

museu dos games mega drive

museu dos games super nes

museu dos games dreamcast

museu dos games ps1

museu dos games portatil

portatil donkey kong

museu dos games joysticks

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Revolução em quadrinhos, Alien russo e uma Estante de games virtual

Mais um dia quente no fim desse feriado foda de uma semana (Vc trabalhou até ontém? Que pena :V), aqui estou eu para falar sobre algumas tranqueiras geeks que provavelmente não irão acrescentar em nada na sua biblioteca intelectual, mas que poderão te entreter um pouco talvez:

Persépolis:

Essa é uma Autobiografia em quadrinhos muito interessante, que conta a história da infância e juventude de uma garota Iraniana, Marjane Satrapi, mostrando a passagem que obrigou as mulheres do povo persa a usar o véu islâmico, durante o sombrio período em que foi instalado o regime Xiita no País.

Marjane, personagem principal e autora da HQ

Além do conturbado período, vemos a adolscência de Marji e sua convivência com a música ocidental, e a dificuldade disso, já que não deve ser muito fácil gostar de bandas como Iron Maiden e Pink Floyd e não ser julgada erroneamente em um governo fundamentalista.

A Hq fez um grande sucesso na França, país de moradia da autora hoje em dia, vendendo apenas lá, mais de 400mil cópias, além de ter rendido um longa-metragem. Aqui no Brasil, foi lançada uma edição que reúne os 4 volumes, lançada pela Compania das Letras, se possível leiam que vocês não vão se arrepender.

Corpo de alien supostamente encontrado na Rússia:

Esse vídeo tem ganhado uma certa repercursão na mídia ultimamente por mostrar um ser que parece muito com um alien, típico daqueles filmes tipo B e tal, aparentemente o vídeo parece ser legítimo, mas nunca se sabe, pode ser só uma escultura melequenta muito bem feita, ou não estamos sozinhos nesse mundo, pelo menos não os Russos:

Organize os seus jogos:

Existem diversars redes sociais de games hoje em dia, mas sempre achava que elas eram uma bagunça, até conhecer o Darkadia, que não chega nem a ser uma rede social, mas por ser uma espécie de estante virtual, onde vc pode indicar o que vc adquiriu recentemente, qual jogo terminou, qual ainda está jogando, além de poder ver a de seus amigos. Acesse o site Aqui e postem nos comentários o que acharam.

Poderia ser a minha coleção se ao menos meu pc rodasse Half Life 2


1 Comment

Filed under Uncategorized

A vida poderia ser mais fácil…

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Teleportes, puzzles e o bolo é uma mentira

A empresa de games Valve, responsável pelo famoso Half-Life decidiu no ano de 2007 inovar o ramo de jogos em primeira pessoa lançando o jogo Portal, que tem como premissa uma mecânica bem simples: Você tem uma arma, a Portal Gun, atire uma vez em um determinado local e ela abrirá um buraco pelo qual vc poderá entrar, atire novamente em outro lugar distante e vc cria uma conexão entre os dois locais, resolvendo os diferentes quebra-cabeças e chegando na saída da tela, tendo como recompensa no final de td, um bolo do Wal-Mart (Sério). Com essa simples e inovadora mecânica, a Valve criou um jogo que fará qualquer um se rasgar pra resolver os diversos desafios, que são dados pelo computador GLaDOS, esse sistema operacional com voz irritante que explica como funciona a Portal Gun no vídeo abaixo:

E logo agora, a Valve lançou a sequência desse clássico, Portal 2 chegou nas lojas ontém, dia 19 de abril, disponível para pc, mac, xbox360 e ps3, mostrando além de novas mecânicas de jogo, uma história mais bem contada, já que no primeiro ela era meio subjetiva, além de um modo Multiplayer que parece ter ficado sensacional. E para conectar a história do primeiro e do segundo jogo, foi lançada uma HQ online que explica exatamente o que aconteceu com a protagonista Chell após os eventos na Aperture Laboratories:

A protagonista Chell em um sono profundo

O que mais chama atenção nos quadrinhos “Lab Rat” é o estilo de arte usado, que é no mínimo embasbacante, mesmo se vc não conhecer nada sobre a série, dê uma olhada que vc não vai se arrepender, além do que, por incrível que pareça, ela foi taduzida para o português e pode ser encontrada aqui.

1 Comment

Filed under Uncategorized

Pac-Man, The Strokes e pq diabos eu voltei.

Resolvi depois de quase um ano retirar a grossa camada de poeira do Midnight Channel e voltar a escrever por aqui, se é que alguém ainda lê isso. Estava ausente não pela cobrança da faculdade, mas por pura vadiagem mesmo, estava sem vontade de fazer nada, mas estou com certos projetos para o futuro e quem sabe, erguer isso aqui seja um bom começo pra conseguir a criatividade necessária pra fazer algo foda.

Review: Pac-Man Championship Edition DX

No meu tempo eram só quatro

Aposto que você não aguenta mais jogar come-come, ou seja lá como vc conhece esse jogo, mas a produtora do conhecido arcade dos anos 80 revitalizou o pac-man, mudando seu visual e sua jogabilidade, a ponto de te fazer perder mais horas do que vc já perdeu na sua infância e no seu serviço juntos.

Aparentemente o jogo está bem mais fácil que o original, já que dessa vez os fantasmas quando te vêem, te seguem continuamente, lhe dando agora a chance de fazer uma espécie de fila com esses lençóis, além das bombas e o slowmotion que é possível ser ativado segundos antes de vc morrer. Mas quando chega o momento que vc pega a capsula principal que te dá a chance de comer os coitados, meu amigo, aí sim vc entende o quão foda ficou esse jogo, só vendo pra entender:

Além da grande mudança na jogabilidade, fica evidente a remodelada no visual, que pode variar desde aquele meio 3D até pixelado, e o som psicodélico, remasterizado das versões anteriores. Pac-Man Championship Edition DX está disponível na Xbox-live e na Psn exclusivamente.

Novo álbum do The Strokes e sua vinda ao Brasil:


A melhor banda de todos os tempos, na minha opinião de merda, lançou recentemente no dia 22 de Março seu quarto cd após um hiato de 4 anos, o álbum Angles, apesar de ter dividido a opinião da maioria dos fãs, foi um sucesso de crítica, provavelmente por arriscar alguma coisa nova, e não simplesmente fazer o mesmo que eles já haviam feito nos outros 3 discos, mesclando o ritmo indie já conhecido com tons de música eletrônica e até Bossa Nova. Destaque principal para as músicas Under cover of darkness, Call me Back e Taken for a fool.

E pra quem quizer ver eles ao vivo, foi confirmado nessa semana que eles virão ao Brasil no Evento Planeta Terra, fazendo o show da turnê de seu novo álbum ao lado de bandas como Tha Vaccines, Toro Y Moi e outras bandas que são indies demais até pra mim.

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Vou virar rockstar e malandro das ruas!

Recentemente estava pensando em tocar algum instrumento, tive aulas de flauta no ensino fundamental e até que mandava bem, muitas vezes até tirava algumas músicas de ouvido e ia orgulhoso mostrar pra professora, ao invés de me elogiar ela simplesmente implicava comigo por eu estar tocando com a mão direita em cima e a esquerda embaixo, acho que na música eles ainda acham que canhotisse é coisa do capeta. Mas como eu ia dizendo eu estava pensando em me dedicar um pouco à música. Não, não vou comprar a nova guitarra de Rock Band pro PS3 e muito menos roubar a vuvuzela do vizinho.

Só não compro uma guitarra de ps3 pq já tenho, se não tivesse enjoado de guitarhero esse post nem existiria.

Existem vários sons que me atraem, desde sanfona até violino, mas acho que o mais básico seria pegar um violão msm que eh bem mais simples e tem um acervo bem amplo pra tocar. Essa vontade veio depois de ver alguns vídeos de uma galera que faz músicas completas juntando pedaços de vídeos deles mesmos tocando as diferentes partes da música, ok, falhei em explicar, vejam o vídeo abaixo que vocês entendem:

Alem do que, violão é barato, e recentemente estou com umas dívidas tensas, preciso aprender a controlar minhas finanças, ainda estou pagando a TV nova e comprei um jogo de ps3 esse mês, o Burnout Paradise,  pra me distrair um pouco agora que eu estou de férias, tem uns carangos legais pra arrmessar na parede e ficar derrapando pela avenida enquanto eu não dirijo. Mas ano que vem que me aguarde, estarei com minha licença para matar, digo digo, minha carta de motorista.

Muito bem feita a box-art

Burnout é uma série já conhecida da galera que jogava no ps2 e essa versão pra nova geração ficou ótima, agora o jogo se passa em um mundo aberto, mais como o need for speed underground 2, e não como era anteriormente, isso tem seus prós e contras, legal pela liberdade, mas ruim por ter que traçar seu próprio trajeto durante as corridas, o que na maioria das vezes pode fazer você se perder pela cidade. Os gráficos estão incríveis, mesmo sendo um jogo já um pouco antigo ainda consegue impressionar, com carros muito bem detalhados, noite e dia bem definidos nos ambientes e destruições em câmera lenta de fazer inveja pra câmera da Fifa na Copa do Mundo.

O nitro está presente de diferentes formas dependendo do carro

Pra terminar vale lembrar que o jogo possui um modo online muito bem organizado, em que você convida seus amigos para a sua cidade no jogo e pode disputar corridas, exibir seus carros e tal. Nunca fui muito fã de jogos de carro, mas esse é do caralho. É isso ae, estou tentando postar bastante agora e estou vendo as visitas aumentarem, obrigado a todos que acessam o site e até mais!

Leave a comment

Filed under Uncategorized